• Guaporé News

AROM E SEAS lançam plataforma para colher informações sobre trabalhadores autônomos



A Associação Rondoniense de Municípios (AROM) e Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SEAS) estão fazendo um levantamento sobre trabalhadores em situação de vulnerabilidade ainda desassistidos pelo poder público. Moto-taxistas, feirantes e outros afetados economicamente pela pandemia do novo coronavírus são o foco do diagnóstico.


O objetivo de consolidar as informações, conforme explicou Paulo Higo, chefe de gabinete da Seas, é identificar o perfil dos desassistidos para fomentar políticas públicas em prol deles. Para agilizar as respostas, a Associação Rondoniense de Municípios (AROM) irá trabalhar junto com as prefeituras para buscar os dados necessários para a construção de ações governamentais, seja com transferência de recursos ou outra forma ainda a definir.


Para acessar a plataforma e inserir as informações, basta acessar o endereço http://social.arom.org.br. A AROM alerta os gestores para a urgência no lançamento das informações. No formulário on-line, devem ser cadastrados TODOS os permissionários e autorizatários de serviço público, independente da idade: Exemplos (ambulantes, feirantes, barraqueiros, taxistas, mototaxistas, recicladores e motoristas de aplicativo).


Conforme a presidente da AROM, Gislaine Lebrinha, os municípios tiveram grande queda na arrecadação por conta da pandemia, mas ainda assim, estão agindo para assistir famílias de trabalhadores que estão sem rendimentos em função da pandemia. “O trabalho dos municípios no âmbito da assistência social é muito importante, mas é necessária essa ação do governo do Estado, por meio da Seas, para que o as prefeituras possam agir em outras frentes de trabalho. Juntos e coordenados chegaremos, com certeza, a uma solução melhor e mais rápida”, destacou a presidente que é também prefeita de São Francisco do Guaporé.


Para a presidente da Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social do Estado (Coagemas), Geany Rodrigues Silva Oliosi, que é também secretária de Ouro Preto, essas ações são muito importantes e vão desafogar os municípios que já estão observando esses trabalhadores há algum tempo. “Nós, enquanto colegiado, vamos cobrar celeridades dos municípios, porque esse diagnóstico já está atrasado. Essas ações já deveriam ter começado, mas, assim que estiverem prontas, as prefeituras vão poder olhar para outros trabalhadores, outras famílias em situação de vulnerabilidade social”, afirmou a presidente do Coagemas.


O diretor executivo da AROM, Roger André, enfatizou que a Associação reuniu todos os secretários a pedido da Secretária de estado, Luana Rocha, e estará junto dos municípios apoiando com as informações necessárias. “É muito bom ver a disponibilidade do governo do Estado em ser parceiro dos municípios nesse momento em que estamos todos enfrentando um cenário de pandemia. O planejamento inicial de todos foi alterado, mas precisamos sempre estar atentos para as situações que surgem. A AROM, como entidade representativa dos municípios, irá auxiliar os municípios para que esse diagnóstico seja realizado o mais breve possível e assim, as políticas públicas sejam implementadas”, disse.


Confira ofício em que a SEAS solicita apoio para ao levantamento de informações  SEI_0026.199338_2020_73(1)


Assessoria AROM

19 visualizações0 comentário