top of page
  • Foto do escritorGuaporé News

Operação Retomada combate extração ilegal de minério e causa prejuízo estimado em R$ 8 milhões




No período de 29 de junho a 02 de julho, a Operação Retomada, realizada pela Polícia Federal em parceria com o Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (IcmBio), causou um prejuízo estimado em R$ 8 milhões aos criminosos. A ação teve como objetivo combater crimes ambientais, com foco especial na extração ilegal de minério nos Parque Nacional Campos Amazônicos e na Terra Indígena Tenharim Marmelos.




Ao longo dos quatro dias de trabalho, uma equipe composta por 20 policiais federais e oito servidores do IcmBio encontrou uma cena de devastação ambiental alarmante. A área afetada foi estimada em 118 hectares, o equivalente a 118 campos de futebol, onde eram utilizados produtos ilegais e tóxicos. Para garantir o sucesso da operação, foram empregadas duas aeronaves do IcmBio.


Durante a ação, duas escavadeiras hidráulicas, onze motores de dragagem, quatro geradores de energia elétrica e oito veículos, incluindo motocicletas e caminhonetes, foram inutilizados. Além disso, dez acampamentos utilizados pelos infratores foram completamente destruídos. O prejuízo financeiro causado pelos danos é estimado em R$ 8 milhões.


A Operação Retomada representou um importante passo no combate à extração ilegal de minério e outros crimes ambientais. A parceria entre a Polícia Federal e o Instituto Chico Mendes reafirma o compromisso das autoridades em preservar a biodiversidade e coibir atividades prejudiciais ao meio ambiente nas regiões dos Campos Amazônicos e Terra Indígena Tenharim Marmelos.



A Operação Retomada representou um importante passo no combate à extração ilegal de minério e outros crimes ambientais. A parceria entre a Polícia Federal e o Instituto Chico Mendes reafirma o compromisso das autoridades em preservar a biodiversidade e coibir atividades prejudiciais ao meio ambiente nas regiões dos Campos Amazônicos e Terra Indígena Tenharim Marmelos.

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page