• Guaporé News

Por meio de consórcio, mais de 50% dos municípios de Rondônia compram testes



Mais de 50% dos municípios de Rondônia receberam testes rápidos para detectar covid-19. A compra de 3.350 kits foi feita por meio do Consórcio Público Intermunicipal de Rondônia (Cimcero) e contemplou 27 de municípios. O material foi entregue na terça-feira para os prefeitos de cada município.


O teste é capaz de detectar anticorpos específicos anti-covid-19 em amostras de soro, plasma ou sangue total, utilizando antígenos recombinantes do vírus. “Essa compra coletiva mostra que os municípios de Rondônia estão unidos, articulando e desenvolvendo ações conjuntas para o enfrentamento desta pandemia. Se cada município fosse fazer sua compra, poderia haver prejuízo. A união do municipalismo representa celeridade, economicidade e transparência na aplicação dos recursos públicos”, diz Cláudio Santos, presidente da Associação Rondoniense de Municípios (AROM) e prefeito de Theobroma.


Os testes rápidos adquiridos pelos municípios são do tipo “Anticovid-19 IgG/IgM”, da LabTeste empresa conceituada no ramo laboratorial e que já fornece insumos e exames ao Cimcero. “Hoje demos mais um passo no combate ao coronavírus, em uma ação coletiva e integrada de mais de 50% dos municípios de Rondônia. Fizemos a aquisição conjunta de 3.350 unidades de testes rápidos da Covid-19. Isso permitirá celeridade na identificação dos casos nos nossos municípios para um isolamento dessas pessoas, com vistas a controlar a transmissão da doença”, afirma Gislaine Lebrinha, prefeita de São Francisco do Guaporé e presidente do Cimcero.


Para o secretário de saúde de Presidente Médici, Rubi da Costa, que também é vice-presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Rondônia (Cosems) e participou da entrega, as ações consorciadas trazem benefícios a todos e, acima de tudo, economicidade ao erário público. “Quando os municípios conseguem se organizar, seja por meio do movimento municipalista, seja por meio de consórcio, quem ganha é a sociedade, pois há melhor gestão de recursos, transparência e celeridade. Ou seja, o benefício chega mais rápido a quem precisa”, diz.


Os testes foram distribuídos conforme a demanda de cada município. Eles estão registrados sob o nº 10009010356, na Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa)

“É um produto de qualidade, nacionalizado e com registro no Ministério da Saúde do Brasil, o que traz segurança para todos nós e principalmente para o paciente acometido por esse vírus”, diz Cláudio Santos.


Assessoria

4 visualizações0 comentário