• Guaporé News

Produtor do estado de Rondônia é finalista no IV Concurso de Qualidade de Cacau Especial do Brasil



O IV Concurso de Qualidade de Cacau Especial do Brasil divulgou na última sexta-feira (7) a lista dos dez finalistas da categoria varietal. Um dos finalistas é Deoclides Pires da Silva, produtor rural da cidade de Jaru, onde mantém um dos maiores números de produtividade da região e recentemente atingiu a quarta colocação no concurso estadual Concacau.


Deoclides Pires é atendido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Rondônia (Sebrae) desde 2021 e participa do projeto Cacau Sustentável de Rondônia. A analista técnica do Sebrae em Jaru, Marcileide Zirondi, afirma: “Ele é um dos produtores mais ativos e atuantes do projeto, também se destaca pelo alto índice de produtividade. O Deoclides produz chocolate, licor de cacau e extrai o mel do cacau, com isso explora um dos setores do mercado de Rondônia que apresenta baixa competitividade”.


O projeto Cacau Sustentável de Rondônia tem como objetivo promover ações de inovação, tecnologia e inteligência de mercado. Essas ações estão sendo desenvolvidas visando aumentar a produtividade dos produtores e a qualidade do produto, focando em melhores resultados financeiros e num melhor posicionamento da produção do estado em nível nacional.


O Sebrae é apoiador do Concurso de Qualidade de Cacau, que já teve outras três edições, onde foram premiados produtores da Bahia, Espírito Santo, Pará e Rondônia. Foram recebidas 36 amostras na categoria varietal, que é uma variedade de chocolate feita a partir de uma única espécie da fruta, e após análises físico-químicas, sensorial de amêndoas não torradas e averiguação inicial dos questionários respondidos chegaram no resultado dos dez finalistas. A final acontecerá no dia 25 de novembro na Estação das Docas, em Belém (PA).

O produtor Deoclides começou a plantar cacau na década de 70 com incentivo do governo e afirma que se apaixonou por ele desde então. A praga de lavoura conhecida como “vassoura de bruxa” fez a produção se encerrar anos depois e só retornar em 2016. Atualmente a plantação conta com 4.200 pés de cacau CCN51 e rende uma colheita de 5.500 quilos.


O cacau CCN51 é originário do Equador e é um clone muito produtivo, com um número considerável de amêndoas no seu interior e uma arquitetura de fácil formação através da polpa. Sua produtividade pode chegar a cerca de quatro vezes superior à média mundial. O Brasil está entre os maiores produtores de cacau do mundo, e o CCN51 está ganhando cada vez mais espaço nas lavouras de cacau brasileiras.


“O Sebrae foi um dos responsáveis por tudo isso que vem acontecendo, me ajudaram em tudo, da inscrição até o transporte das amostras para a Bahia. O Sebrae é muito importante para os produtores rurais, assumiu uma responsabilidade com o cacau de Rondônia”, avalia Deoclides Pires, que acrescenta: “O cacau é uma paixão sem volta, ele te envolve. Tive muita dificuldade quando retornei às atividades de plantio do cacau, todos diziam que o 51 não faria chocolate, mas o 51 de Rondônia é diferente. Estar entre os dez finalistas em um concurso nacional, para mim, é estar em primeiro. Nosso trabalho agora é mostrar que o nosso cacau 51 dá chocolate”.

1 visualização0 comentário